Pular para o conteúdo principal

Qual o modelo e os recursos apropriados para a administração da produção? Essencialmente é necessário entregar o produto certo, dentro das especificações estabelecidadas e requeridas pelo cliente, no local certo, no tempo desejado pelo cliente e a um custo adequado, sendo assim, o aspecto do sistema de gestão de produção empregado pela organização é primordial, pois dele dependerá uma boa parte do nível de serviço ofertado aos clientes.

Os pilares do Lean Manufacturing

As ferramentas e técnicas utilizadas na implantação e manutenção do Lean, são como pilares que servem de sustentação para todo o sistema.

Estes pilares são:

5S
Ferramenta da Gestão pela Qualidade Total que cria um sistema de padronização e organização no ambiente de trabalho. È formado por cinco palavras japonesas, que iniciam com “S”, sendo cada palavra uma etapa de implantação deste sistema.

Mapeamento do Fluxo de Valor

O Lean é uma filosofia, ou uma estratégia, que concebe uma nova visão de industrialização com a finalidade de reduzir o Lead Time de um processo, ou seja, do tempo entre o pedido formulado pelo cliente e a entrega do mesmo, focando a eliminação dos desperdícios, baseados nas sete grandes perdas do sistema Toyota de produção segundo Taiichi Ohno, que são:

Como sua empresa mede a produção?

Como sua empresa mede a produção? Em quilos? Metros quadrados? Peças? Litros?

É fácil perceber que estas unidades de medidas são injustas para medir a produtividade industrial ou até mesmo para utilizar na aplicação de prêmios de produtividade.

Estas unidades de medidas são ineficientes para se medir a produtividade por um simples motivo: Elas não representam a quantidade de esforço (trabalho) de produção envolvido para transformar cada quilo, metro, litro etc. dos diversos produtos acabados.

Kaizen: Implementando a melhoria contínua

Kaizen surgiu no início da década de 50, no Japão, por necessidade e não por opção. As empresas japonesas necessitavam crescer, porém não tinham dinheiro e tão pouco o governo japonês podia emprestar. Não podemos esquecer que o Japão tinha perdido a II Guerra mundial, seu país estava arruinado, as empresas japonesas tinham que ter produtos com boa qualidade e com preço competitivo e, o pior, não tinham máquinas sofisticadas ou automáticas, como tinham os Americanos. Os japoneses, para poderem ser competitivos, tinham que ser mais criativos do que os demais países na área da produção.

A Crise e seus efeitos na Cadeia de Fornecedores

Ao longo do ano de 2015 e também neste início de ano o Brasil está passando por um momento turbulento em sua economia e também na política, gerando efeitos muito impactantes na sociedade e em todos os segmentos do mercado.
 
Os indicadores econômicos, de desemprego, inflação, várias empresas fechando, juros elevados... nos mostram tendências negativas para os próximos meses de 2016.
 

Inscrever-se em Gestão da Produção